18/12/2018 às 11h08min - Atualizada em 18/12/2018 às 11h08min

Moro anuncia subprocuradora Maria Hilda Marsiaj como secretária nacional de Justiça

Futuro ministro concedeu entrevista na sede do governo de transição. Segundo Moro, área do Trabalho responsável por registros sindicais ficará sob responsabilidade de nova secretária.

g1.com.br


O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, anunciou nesta segunda-feira (17) a subprocuradora-geral da República Maria Hilda Marsiaj como nova secretária nacional de Justiça.

Moro fez o anúncio durante uma entrevista coletiva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde trabalha a equipe que faz a transição do governo Jair Bolsonaro.

Segundo Moro, "independência, integridade e eficiência" foram os critérios para ele escolher Maria Hilda para o cargo. O futuro ministro disse que ela terá de se afastar do Ministério Público Federal para assumir a função.

Maria Hilda ocupa vaga de suplente do Conselho Superior do MPF e e foi procuradora-chefe da Procuradoria Regional da República da 4ª Região (RS, SC e PR). Ela consta na relação de subprocuradores que integram força-tarefa da Lava Jato com atuação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) na área criminal.

Moro explicou que a secretaria tem na estrutura órgãos como o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI).

"Há também o departamento de políticas do Judiciário, que orienta o presidente, no que cabe a ele de discricionário, nas nomeações dos tribunais federais e para os tribunais superiores. A ideia é sempre buscar juízes, magistrados que sejam independentes, íntegros e que tenham uma história profissional consistente com a política do governo", disse Moro.

Registros sindicais

De acordo com o futuro ministro, a área do Ministério do Trabalho atualmente responsável pelos registros sindicais ficará vinculada à Secretaria Nacional de Justiça a partir de 2019.

A Polícia Federal investiga, no âmbito da Operação Registro Espúrio, fraudes na concessão de registros. Pessoas alvos da operação já disseram, por exemplo, que era cobrado "faz-me rir" para a liberação dos registros.

"Foi transferida esta coordenação de registro sindical a pedido do governo que foi eleito, com a expectativa de reduzir problemas de corrupção nesta área que têm sido verificados nos últimos anos", afirmou Moro

Criado há quase 90 anos, o Ministério do Trabalho deixará de existir no governo Bolsonaro.

As responsabilidades da pasta foram divididas entre os ministérios da Justiça, da Economia (que unirá Fazenda e Planejamento) e Cidadania (que unirá Desenvolvimento Social, Cultura e Esporte).

Nomes da equipe de Moro

Saiba os nomes já anunciados pelo futuro ministro Sérgio Moro:

    Maurício Valeixo (Diretoria-geral da Polícia Federal);
    Rosalvo Ferreira (Secretaria de Operações Policiais Integradas);
    Fabiano Bordignon (Departamento Penitenciário Nacional);
    Érika Marena (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional - DRCI);
    Luiz Pontel (Secretaria Executiva do Ministério da Justiça);
    General Guilherme Theophilo (Secretaria Nacional de Segurança Pública);
    Luiz Roberto Beggiora (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas - Senad);
    Roberto Leonel (Conselho de Controle de Atividades Financeiras - Coaf);
    Luciano Timm (Secretaria Nacional do Consumidor);
    Adriano Marcos Furtado (Polícia Rodoviária Federal - PRF).
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual melhor candidato?

53.3%
29.0%
17.8%