19/11/2019 às 11h19min - Atualizada em 19/11/2019 às 11h19min

Estudantes da Escola do Sesi de Campo grande constroem patrimônios culturais da Capital

Dendry Rios
fiems.com.br/noticias/estudantes-da-escola-do-sesi-de-campo-grande-constroem-patrimonios-culturais-da-capital/30369
Alunos do 9º ano da Escola do Sesi de Campo Grande iniciaram a construção de patrimônios culturais da Capital dentro da plataforma educacional do Minecraft. A atividade foi realizada no Laboratório de informática da unidade e irá acontecer em todas as Escolas Sesi do Estado. Os professores passaram por um treinamento Microsoft e uma das ferramentas que conheceram foi o Minecraft educacional.

A atividade tem como objetivo desenvolver um cenário imersivo e informativo sobre os patrimônios Culturais de Campo Grande e também, o conhecimento dos alunos sobre estes locais, além do trabalho em equipe dentro de um ambiente gamificado.

A professora de arte Daniele Navarro iniciou um trabalho sobre alguns patrimônios e pontos de cultura de Campo Grande com os alunos do 9º ano, no qual os estudantes desenvolveram Lapbooks explicativos e criaram jogos de tabuleiro que trazem informações importantes desses locais aos jogadores.

Com o conhecimento adquirido no curso do Minecraft e as possibilidades de construção desses patrimônios em forma virtual, colaborativa e gamificada, professora e alunos fizeram a primeira aula dentro da ferramenta.

As equipes do 9º ano definiram o que cada aluno faria e iniciaram as construções dos locais estudados dentro do Minecraft. Alguns pontos que serão construídos são o Relógio, o Obelisco, o Horto Florestal, a Morada dos Baís, o Parque das Nações, entre outros.

De acordo com o diretor da Escola do Sesi de Campo Grande, Murilo Augusto de Oliveira Junior, a construção desses monumentos e espaços faz com que os alunos se atentem aos detalhes dos locais. “Além de pesquisarem ainda mais sobre os mesmos. A ideia é que alunos e educadores da rede SESI entre outros possam acessar esse ambiente e realizar passeios virtuais, conhecer mais da história dos locais e, futuramente participarem de quizzes e desafios sobre os patrimônios ali construídos”, explicou.

Conforme a professora Daniele Navarro disse que alguns alunos já conheciam a ferramenta e auxiliavam seus colegas durante as construções. “Até mesmo me ajudavam quando eu tinha alguma dificuldade. Eles foram participativos e estão muito motivados com a atividade. Acredito que o Minecraft terá um futuro promissor no auxílio ao ensino da escola”, afirmou.

A aluna Thayanne Siqueira Bastazini contou que gostou muito da aula. “Achei superinteressante essa nova forma de apresentar os trabalhos realizados dos monumentos, muito criativo”, comentou.

A aluna Beatriz Sant' Ana Monteiro de Morais disse que “foi uma experiência muito legal. Foi divertido construir com os colegas e nos fez prestar mais atenção nos detalhes e trabalhar bastante em grupo”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual prefeito seria melhor para a saúde?

54.9%
28.3%
16.8%