Preocupação com prevenção de acidentes aumentam a demanda de técnicos em segurança

Com 710 mil acidentes registrados no ano, empresas buscam prevenir acidentes contratando mão de obra qualificada.

Por Redação 02/10/2017 - 09:44 hs
Foto: Reprodução
Preocupação com prevenção de acidentes aumentam a demanda de técnicos em segurança
Trabalhadores estão em alta no mercado

Preocupação com prevenção de acidentes aumentam a demanda de técnicos em segurança do trabalho no Brasil

No início de agosto, uma comissão especial sobre direitos humanos foi aberta para discutir a reforma trabalhista que tramita no Congresso Nacional. A segurança do trabalhador foi um dos assuntos mais debatidos, principalmente daqueles que atuam em atividades de risco.

O Brasil tem índices alarmantes de acidentes de trabalho, mas o empresariado mostra interesse na prevenção e na contratação de profissionais com curso técnico em segurança do trabalho. Segundo dados fornecidos pelo presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), Carlos Silva, são 710 mil acidentes de trabalho registrados por ano no país.

No Brasil, existem leis que exigem que as empresas tenham um número de técnicos de segurança do trabalho compatível com o número de funcionários. Com o aumento da fiscalização, elas estão cada vez mais procurando profissionais especializados nessa área, o que garante estabilidade no setor, mesmo em momentos de crise.

A necessidade de técnicos varia de acordo com o tamanho da empresa. De 50 a 100 funcionários, é obrigatório que exista pelo menos um profissional de segurança do trabalho. Mas uma empresa com 3.500 trabalhadores necessitam de equipes completas, com engenheiro, enfermeiro, médico, auxiliar e técnico.

Conhecendo a atividade

Como principal função, o técnico em segurança do trabalho é o profissional que busca garantir a proteção dos funcionários em relação aos possíveis riscos oriundos do ambiente profissional. Para isso, deve estudar a atividade laboral e adotar medidas que minimizem os acidentes. Além disso, deve zelar pela qualidade do trabalho dentro das empresas, realizando auditorias e avaliações, além de oferecer propostas que minimizem o impacto do ambiente trabalhista no indivíduo, promovendo sua saúde e bem estar. Também realiza ações educativas na área de saúde e participa de processos de perícia e fiscalização interna das empresas.

Por ser uma área inovadora, a atualização de regras e regulamentações é constante. Nesse sentido é preciso que o técnico em segurança do trabalho seja um profissional atualizado, que participe cursos e palestras relacionados à profissão.

O mercado nessa área é promissor. Tanto que é comum os alunos conseguirem emprego antes mesmo de concluírem a especialização. Diversas empresas ainda oferecem bolsa de estudos para funcionários se especializarem.

Prevenção

Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), a cada ano ocorrem cerca de 2,34 milhões de acidentes mortais de trabalho. Porém, somente 321 mil se devem a acidentes. Outras 2,02 milhões de mortes são causadas por enfermidades relacionadas com o trabalho. O Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial relacionado à esse tipo de acidentes, com 2.503 óbitos. Isso faz do profissional especializado uma peça fundamental na prevenção. Tendo em vista essa exigência, para suprir a demanda de mão de obra capacitada, diversas entidades oferecem o curso técnico de segurança no trabalho.